"A Matemática é o alfabeto com o qual Deus escreveu o Universo."


"Não se pode ensinar alguma coisa a alguém, pode-se apenas auxiliar a descobrir por si mesmo."

"Não me sinto obrigado a acreditar que o mesmo Deus que nos dotou de sentidos, razão e intelecto, pretenda que não os utilizemos."

Galileu Galilei (1.564 + 78 = 1.642)

Álgebra + Aritmética + Geometria = Matemática

Aviso aos Navegantes

Não se deve estudar em um texto matemático ( livro, artigo resolução de problema, ... ) como se estivesse lendo um romance. Também não faz qualquer sentido ler um texto matemático marcando as passagens que você considera importantes. Ler um texto matemático é um processo ativo. Você tem que participar. Leia devagar, com cuidado e sabendo que uma grande parte dos detalhes é em geral omitida quando o texto é escrito.

Qualquer texto matemático que contivesse todos os detalhes seria imenso e seria impossível de ser lido. É normal encontrar nestes textos frases do tipo "evidentemente" ou "é fácil ver que". Elas não significam que o que vem em seguida deve ser imediatamente entendido pelo leitor, mas que neste ponto alguns detalhes foram suprimidos e que você deve usar papel e lápis para preencher estes detalhes que estão faltando.

Quando for estudar matemática tenha à mão lápis, papel de rascunho e borracha (não tenha medo de errar). Leia o texto com atenção e escreva (e não apenas leia) os exemplos que aparecem no livro. Faça você mesmo os cálculos. Invente seus próprios exemplos a respeito do que esta sendo explicado. Matemática é uma das poucas ciências em que você não precisa acreditar no autor.

Se você estiver lendo um texto sobre um experimento de física você, em geral, não terá condições de realizar as experiências a que ele se refere. Se estiver lendo um texto sobre um período da história você não terá acesso as fontes que o autor teve. Quando estiver lendo um texto matemático você pode e deve verificar todas as afirmativas do autor.

Fonte: HOGBEN, Lancelot. Maravilhas da Matemática. Porto Alegre: Globo, 1970.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Questão 26 – Prova do Estado – (OFA) 2.013 – Professor de Educação Básica II

O polígono JULIA, desenhado na malha quadriculada da figura, representa um terreno.


Se o lado de cada quadradinho da malha corresponde a 5 m, então, a área do terreno é

(A) 1 875 m2.
(B) 2 150 m2.
(C) 2 750 m2.
(D) 3 125 m2.
(E) 3 250 m2.

Solução: (A)

Dividindo-se o polígono por uma linha perpendicular ao segmento AI e passando pelo ponto U, obtemos dois trapézios do qual conhecemos as medidas das bases e as alturas.

Áreatrapézio = [(base menor + base maior) / 2] ∙ (altura)

Temos um trapézio com bases medindo 25m e 40m e altura 30m e outro com bases medindo 25m e 35m e altura 30m.

Áreatrapézio = [(25 + 40) / 2] ∙ (30) = 975 m2 

Áreatrapézio = [(25 + 35) / 2] ∙ (30) = 900 m2 

ÁreaJULIA = 975 + 900 = 1875 m2

0 Comments:

Isto é Matemática

Loading...

Postagens populares